Páginas

terça-feira

PARA PENSAR (7):

UM CONTO DA ÍNDIA ANTIGA - UM CONTO MUITO ATUAL
Quatro filhos de um rei estavam questionando a qual especialidade dedicariam seus estudos. Eles diziam um ao outro: "Vamos sair pelo mundo e aprender uma ciência especial". Assim decidiram e, após terem concordado em que lugar se encontrariam de novo, os quatro irmãos partiram, cada um numa direção diferente. O tempo passou, e os irmãos se reencontraram no lugar combinado e perguntaram uns aos outros o que haviam aprendido.
"Eu dominei uma ciência", disse o primeiro, "que me permite, se eu nada tiver, a não ser um pedaço de osso de alguma criatura, criar imediatamente a carne que o acompanha." "Eu", declarou o segundo, "sei como fazer crescer a pele e os pêlos dessa criatura se houver carne sobre seus ossos." O terceiro disse: "Eu consigo criar seus membros se tiver carne, pele e pêlos". "E eu", concluiu o quarto, "sei como dar vida á criatura se sua forma estiver completa".
Então os quatro irmãos foram`a floresta para procurar um pedaço de osso e poder demonstrar suas especialidades. Como o destino quisesse, o osso que encontraram era de leão, mas eles não sabiam disso e o pegaram. Um acrescentou carne ao osso; o segundo fez crescer sua pele e seus pêlos; o terceiro completou-o com os membros; e o quarto deu vida ao leão.
Sacudindo sua pesada juba, a besta feroz ergueu-se com a boca ameaçadora, os dentes afiados e as garras impiedosas e pulou sobre seus criadores. A fera matou todos e desapareceu satisfeita dentro da floresta.
Retirado do livro "O Sofrimento que Cura" de Henri Nouwen

sexta-feira

Relacionamentos...

"Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou."

Efésios 4.32

Há quem diga que é fácil exercer a arte de se relacionar com o outro. Talvez numa relação superficial, provisória e inconstante tal conclusão se encaixe bem. Mas em relacões que exigem profundidade, tempo e constância, a dificuldade é uma realidade da qual não podemos fugir.

Maridos e esposas sabem bem disso; pais, filhos e irmãos também conhecem; e amigos verdadeiros entendem o que estou dizendo aqui. Relacionamentos duradouros envolvem muitos daqueles momentos decisivos, que costumamos chamar de "Crise" e precisam ser vistos por nós como uma oportunidade de crescimento, cuja superação se faz sempre necessária para que a caminhada continue. E é bom que ela continue, e isso para que cresçamos juntos em maturidade e amor, de maneira saudável em todas as esferas de relacionamento, que mesmo com as dificuldades existentes, não deixam de ser um grande investimento de Deus em nossa vida.

Sempre que me vejo diante de uma crise que envolva meus relacionamentos, encontro-me diante de uma pergunta que invade meu coração e deve ser rapidamente respondida:
Desejo superar, restaurar a relação e crescer, ou desejo desistir, abandonar a relação e descartar todo o crescimento que através dela Deus poderia gerar em minha vida?

Devemos confessar aqui, que na maioria das vezes, parece ser mais cômodo e fácil para nós desistir em meio à crise, como se assim pudéssemos fazer com que ela se acabasse ou desaparecesse da nossa vida. Engano nosso! Crises devem ser superadas do jeito de Deus ou virão sempre a nos perseguir; para tanto: o amor, respeito, diálogo, humildade, quebrantamento, perdão e a responsabilidade são virtudes indispensáveis na postura de qualquer pessoa na sua relação com o outro.

Termino aqui com uma frase de Andrew Murray, que levo sempre em minha mente e coração, e que tem me ajudado demais no exercício dessa arte difícil, porém não impossível, de me relacionar de maneira profunda, constante e edificante com as pessoas que Deus já colocou e continuamente coloca em minha vida:

"A verdade é esta: o orgulho deve morrer em você, ou nada do céu poderá viver em você."

Deus abençoe sua vida e seus relacionamentos!

No amor de Cristo,

Pr. Júnior

quinta-feira

terça-feira

MINHA FAMÍLIA PARA JESUS...

Ah! Que bom seria se toda minha família se convertesse!
"Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa." Atos 16.31

Se este é o desejo que hoje arde em seu coração, saiba que o Deus a quem servimos é poderoso para realizá-lo de uma forma inesperada e surprendente.

Não são poucas as pessoas que têm provado da alegria de verem toda sua família ou boa parte dela aos pés de Jesus e o reconhecendo como o Senhor e Salvador que apenas Ele é.

A cada dia que passa, mais esposas têm visto seus maridos nascendo de novo, mais maridos têm visto suas esposas transformadas pelo poder de Jesus, mais pais têm contemplado a sincera conversão de seus filhos, e mais filhos vêm sendo instrumentos poderosos para a graciosa salvação de seus pais.
E tudo isso se deve ao grande amor, interesse e ação de Jesus Cristo na vida não só de indivíduos isolados, mas principalmente, na vida de famílias inteiras.

Eu gosto de pensar, que quando Jesus alcança alguém, Ele já está com os Seus olhos colocados sobre seus familiares, entre os quais, Ele faz com que aquele que primeiro se converteu seja sal e luz, capacitando-o a viver como um embaixador do Reino de Deus, enviado pelo próprio Deus para abençoar através do Evangelho e da nova forma de viver a vida de todos aqueles que lhe são mais próximos: a família.

Minha oração é para que o Senhor gere fé suficiente em seu coração, para que assim como Josué você possa olhar para sua família, e independente de como ela se encontra hoje, cheio esperança e confiante nas promessas de Deus, dizer: "Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR." Josué 24.15

Ele ainda salva, restaura e cura famílias inteiras para o Seu louvor.

Deus abençoe sua vida!

No amor de Cristo,

Pr. Júnior